10 de mai de 2012

Conversando com São Paulo: Haddad quer usar inovação para enfrentar problemas de São Paulo

Pré-candidato do PT, coordenador do movimento “Conversando com São Paulo”, afirma que gestão Serra-Kassab é provinciana, não inova e só apresenta projetos pontuais.


O pré-candidato do PT à Prefeitura, Fernando Haddad, participou nesta terça feira (8/5) de plenária sobre Educação, Inovação e Tecnologia, na qual se comprometeu, caso eleito, a investir em tecnologias e em projetos de educação capazes de gerar soluções inovadoras para os problemas da cidade. “É impossível conceber o desenvolvimento do país sem o desenvolvimento de grandes cidades, e é impossível conceber o desenvolvimento de grandes cidades sem uma gestão pública inovadora”. A plenária, parte do movimento “Conversando com São Paulo”, coordenado por Haddad, teve a participação do neurocientista Miguel Nicolelis, do sociólogo especialista em cultura digital Sérgio Amadeu e do deputado federal Newton Lima, coordenador do setorial de Ciência e Tecnologia do PT.


Haddad criticou a gestão Serra-Kassab na Prefeitura de São Paulo, dizendo se tratar de uma gestão provinciana no âmbito da cultura e tecnologia. “Nós não temos grandeza na solução dos nossos problemas. Quando se pergunta o que eles fizeram em oito anos tem sempre uma resposta de um programa pontual. Mas e estruturalmente? Eles não lidaram estruturalmente com nenhum assunto. E São Paulo, por seu tamanho, exige soluções estruturais”.

Inteligências disponíveis
“São Paulo tem muitas inteligências disponíveis, mas a Prefeitura não cria um ambiente institucional que permita essa criatividade, que está latente, e produzir soluções estruturais para a cidade”, disse Haddad.
Os demais integrantes da mesa defenderam que o futuro governo paulistano deve ter uma abordagem diferente nas áreas de educação e tecnologia. Para Sérgio Amadeu, as aulas atualmente oferecidas pelo governo da cidade se concentram em ensinar o uso de softwares, quando deveriam dar ferramentas para que os jovens desenvolvessem soluções e tecnologias próprias. “O poder público dessa cidade não incentiva o pessoal das tecnologias abertas, o pessoal da bicicleta, das tecnologias de uso de energia reciclável, não incentiva nada disso. Nós precisamos apostar na nossa criatividade.”

O neurocientista Miguel Nicolelis apontou a importância de políticas de inovação e tecnologia para transformar a cidade em uma capital do conhecimento. Para isso, segundo o cientista, é preciso investir nas pessoas e ampliar o acesso à ciência por meio de laboratórios e museus públicos. Nicolelis usou como exemplo sua experiência do Instituto Internacional de Neurociências em Macaíba, cidade de 60 mil habitantes próxima de Natal (RN). “Graças ao então ministro Fernando Haddad existe um lugarzinho chamado Macaíba onde a ciência virou um agente de transformação social. Nessa cidade, a ciência é feita por crianças que saíram das condições mais difíceis de sobrevivÍ ncia e hoje registram atividade de neurônio em um laboratório de ponta. E se é possível fazer isso em Macaíba, é possível fazer isso na cidade de São Paulo”.

Newton Lima, ex-reitor da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) e ex-prefeito da cidade, lembrou de parcerias entre a prefeitura e as universidades (USP e UFSCar). “O resultado, depois de oito anos de gestão, foram cerca de 200 projetos para a cidade, projetos da melhor qualidade”, frisou.

PT do ABC  - 09.05.12

Fonte: DM PT-SP

Nenhum comentário: