2 de out de 2009

Manifestação em solidariedade ao povo de Honduras

FORA GOLPISTAS!

Dia 2 de Outubro, sexta-feira - MASP – Av. Paulista
Concentração a partir das 17h

Uma série de entidades, centrais sindicais, movimentos populares e partidos de esquerda fazem um ato em defesa da restauração da democracia em Honduras, com o retorno ao governo do presidente eleito Manuel Zelaya, e em repúdio ao golpe militar e às medidas repressivas contra o povo, nesta sexta-feira (2/10), às 17h, em frente ao Masp, em São Paulo.

"O golpe militar tem de ser derrotado nas ruas em Honduras e em todo o mundo. Nos últimos dias, os golpistas não deixaram nenhuma dúvida aos trabalhadores e aos povos de sua verdadeira face fascista: toque de recolher, estado de sitio, prisões, repressão brutal com centenas de lutadores feridos e assassinatos", afirma o manifesto (leia versão integral abaixo).

As entidades se colocam também "na defesa da embaixada do Brasil contra qualquer ataque ao presidente eleito Manuel Zelaya, os ativistas e dirigentes que o acompanham bem como contra qualquer funcionário da embaixada".

Entre outras organizações, assinam a convocatória do ato pela democracia o MST (Movimento Sem Terra), CUT (Central Única dos Trabalhadores), CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), Conlutas, Intersindical, MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), UNE (União Nacional dos Estudantes) e Anel (Assembléia Nacional dos Estaduantes).

O PT, PCB, PSOL, PSTU, Consulta Popular, Assembléia Popular e Circulo Palmarino também assinaram o manifesto.

Ato em defesa de democracia em Honduras
Dia - 2 de Outubro, sexta-feira
Local - MASP
Endereço - Av. Paulista, 1.578 - Bela Vista - Centro
Concentração - a partir das 17:00h

Abaixo, leia a convocatória do ato pela democracia em Honduras.

Manifestação em Solidariedade ao Povo de Honduras
Fora Golpistas!

O golpe militar tem de ser derrotado nas ruas em Honduras e em todo o mundo. Nos últimos dias, os golpistas não deixaram nenhuma dúvida aos trabalhadores e aos povos de todo o mundo de sua verdadeira face fascista: toque de recolher, estado de sitio, prisões, repressão brutal com centenas de feridos e assassinatos.

As imagens de estádios sendo usados como “prisões” para as centenas de detenções realizadas de maneira arbitrária e violenta trazem na memória as imagens do golpe de Pinochet, no Chile, e as prisões e execuções no Estádio Nacional tão simbólicas, para todo os povos de nosso continente, do significado das ditaduras.

De outro lado, as manifestações e resistência do povo hondurenho para derrotar o golpe continuam heróicas e fortes. As organizações sindicais, populares e políticas brasileiras fazem um chamado a construirmos um amplo movimento de solidariedade ao povo de Honduras.

A América Latina viveu períodos sombrios por conta de ditaduras e, para evitar o retorno desses tempos, realizaremos todos nossos esforços de mobilização e apoio político e material para a luta organizada a partir da Frente Nacional de Resistência Contra o Golpe de Honduras que luta por: fim da repressão e restabelecimento das liberdades democráticas, recondução do presidente eleito Manoel Zelaya ao governo, punição aos golpistas e respeito ao direito legítimo do povo hondurenho de decidir livremente seu destino, inclusive através da convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte.

Nos colocamos na defesa da embaixada do Brasil contra qualquer ataque ao presidente eleito Manoel Zelaya os ativistas e dirigentes que o acompanham bem como contra qualquer funcionário da embaixada.

Para isso estaremos organizando:

1- Manifestação em São Paulo, no dia 02 de outubro no vão do MASP, na av.Paulista, concentração à partir das 17:00h;

2- Uma delegação unitária das organizações brasileiras para levar nosso apoio e solidariedade, nos próximos dias, ao povo hondurenho;

3- Uma campanha de arrecadação de recursos para o apoio à resistência organizada pela Frente Nacional de Resistência Contra o Golpe de Estado.

MST (Movimento Sem Terra)
CUT (Central Única dos Trabalhadores)
CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil)
Conlutas
Intersindical
MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto),
UNE (União Nacional dos Estudantes)
Anel (Assembléia Nacional dos Estaduantes)
PT
PCB
PSOL
PSTU
Consulta Popular
Assembléia Popular
Circulo Palmarino
Esquerda Marxista
CDR - Comitê de Defesa da Revolução Cubana

Do site do MST.org - 01.10.09

Nenhum comentário: