4 de out de 2012

13 motivos para votar em Fernando Haddad 13

Grito dos Excluídos (Dia da Independência - 07.10), com Fernando Haddad (centro). Foto: Márcia Brasil

1. Bilhete Único Mensal

Haddad vai criar uma ótima opção para quem usa o transporte público frequentemente. O Bilhete Único Mensal custará R$ 140 e metade disso, R$ 70, para estudantes. E você vai usar o transporte sem limites, o mês todo, inclusive nos fins de semana. Quem não usa muito poderá continuar com o Bilhete Único de três horas.



Com o Bilhete Mensal do Haddad, mais pessoas poderão deixar seus carros de lado e optar pelo transporte público. Para atender ao aumento da demanda e proporcionar maior velocidade ao transporte público, Haddad criará mais 150 km de corredores de ônibus e mais 150 km de faixas exclusivas. Dará apoio financeiro ao metrô para a ampliação da rede e a integração com o Bilhete Único Mensal, exigindo metas. Também será garantida a acessibilidade universal, ou seja, à toda a frota de ônibus.


2. Rede Hora Certa

Serão 31 centros de saúde - um em cada subprefeitura - para a realização de consultas, exames e cirurgias simples, tudo com hora marcada e no mesmo lugar. Assim, os hospitais terão menos filas, porque vão se dedicar às emergências e às cirurgias que necessitam de internação.

Haddad ainda vai construir três novos hospitais – aqueles prometidos e não entregues pela gestão Serra/Kassab – e cinco novos prontos-socorros, além de implantar o Plano de Carreira para o Médico do Município, estimulando os atuais e atraindo novos profissionais para a rede pública.


3. Educação em tempo integral

O plano de Haddad é intensificar em São Paulo o programa Mais Educação, modelo de ensino em tempo integral que ele criou quando era ministro da Educação. O Mais Educação aumenta de quatro para sete horas a jornada escolar e o aprendizado acontece dentro e fora da escola – em um turno o estudante aprende na sala de aula e, no outro turno, o estudante é levado para museus, teatros e quadras poliesportivas.

A prefeitura de São Paulo não quis ou não soube trabalhar em parceria com o governo federal. Por isso, o Mais Educação avançou pouco em São Paulo. Com Haddad, o programa virá com força para cá.

Haddad também vai oferecer mais e melhor capacitação aos professores da rede pública, trazendo à cidade a Universidade Aberta do Brasil, que fornece aos professores municipais e estaduais cursos à distância de especialização, mestrado e doutorado. A implantação será feita com a participação dos professores, que terão seus direitos respeitados.


4. 20 novos CEUs

A construção de CEUs será retomada na gestão de Haddad. Ele vai fazer 20 novas unidades em quatro anos e ainda criará a Rede CEU, que integrará as demais escolas aos equipamentos e ao projeto pedagógico dos CEUs. Os avanços na educação conquistados no governo Marta serão ampliados.

O projeto pedagógico original dos CEUs vai ser retomado, articulando a educação com o esporte e a cultura. Também serão criados dois novos Centros Culturais, com Escolas Municipais de Artes e Casas de Cultura Digital. Haddad implementará o Fundo Municipal de Fomento à Cultura, ampliando os Pontos de Cultura, o VAI e criando o Bolsa-Cultura. Haddad também iniciará o projeto Internet Popular, com implantação de rede sem fio gratuita na cidade.


5. 172 novas creches

Eleito prefeito, Haddad terá a educação infantil como prioridade. Ele trará imediatamente os recursos federais disponíveis para São Paulo e construirá 172 creches. Em quatro anos, serão criadas 150 mil vagas de educação infantil.

Quando era ministro da educação, Haddad aprovou recursos do Proinfância para a construção dessas 172 creches, mas até hoje providências mínimas, como o preenchimento de um cadastro, não foram tomadas pela Prefeitura. E o dinheiro continua parado. Enquanto a prefeitura perde tempo, 150 mil crianças de 0 a 5 anos de idade esperam vaga em creche e pré-escola.


6. 55 mil novas moradias

Em quatro anos, a meta de Haddad é entregar 55 mil novas moradias, dando oportunidade para que milhares de famílias possam não só mudar de casa, mas mudar de vida, nas comunidades mais afastadas e no centro. Em espaços mal aproveitados, Haddad estimulará o surgimento de centralidades habitacionais, para atrair moradores de todas as classe sociais. Além disso, será retomado o projeto de produção de moradias no centro. Haddad vai trazer o Programa Minha Casa Minha Vida com toda força para a cidade.

O programa de urbanização de favelas será acelerado, para beneficiar 70 mil famílias em quatro anos. Haddad também dará novo ritmo ao processo de regularização fundiária. Em quatro anos, 200 mil famílias terão a segurança do seu título de propriedade.


7. Arco do Futuro

O Arco do Futuro é uma proposta de planejamento estratégico que visa equilibrar a cidade, levando trabalho a regiões periféricas e moradia ao centro, aproximando emprego e serviços públicos de qualidade do lugar onde as pessoas moram.

Com o Arco do Futuro, Haddad pretende resolver um dos problemas mais agudos enfrentados pelos paulistanos: o ir e vir. O projeto traça uma espécie de zona especial, uma linha que se inicia na Avenida Cupecê, na zona sul, segue pelas Avenidas Vicente Rao e Roque Petroni, continua pelas vias expressas que contornam o Centro Expandido, as Marginais Tietê e Pinheiros, e termina entrando para a zona leste, ao longo da ferrovia, até chegar e percorrer a Avenida Jacu-Pêssego.

Imagine essa linha como um Eixo de Desenvolvimento, para onde serão atraídas empresas e levadas construções e melhorias no sistema viário, através de novas vias e melhor aproveitamento das avenidas já existentes. Esse novo polo, além de facilitar a integração com a região metropolitana, vai redirecionar o crescimento, deixando o emprego bem perto de onde moram milhões de paulistanos. Além disso, esse modelo de desenvolvimento é capaz de criar novas centralidades em São Paulo, ou seja, requalificar outras regiões da cidade para atrair pessoas, negócios, serviços públicos e privados e, assim, diminuir a pressão sobre o centro histórico, que precisa ser preservado.


8. Imposto inteligente

Na prefeitura, Haddad vai usar o imposto de forma inteligente, para gerar benefícios reais, como ele já fez no Ministério da Educação. Quando era ministro, Haddad criou o ProUni, que troca os impostos que as universidades particulares já não pagavam pela oferta de vagas.

Na prefeitura, Haddad usará o imposto para levar o desenvolvimento ao eixo formado pelo Arco do Futuro, oferecendo incentivos em razão inversa à demanda do mercado imobiliário. Ou seja, o empresário que investir nas áreas onde há potencial construtivo terá desconto no IPTU. E o ISS vai cair de 5% para 2%.

Outra medida será a revisão das regras de Potencial Construtivo, para permitir a chegada de novos empreendimentos a lugares pouco desenvolvidos.


9. Fim da taxa da inspeção veicular

Haddad acabará com a taxa de inspeção veicular, aquela da Controlar. A prefeitura vai continuar fazendo a inspeção, uma vez que ela diminui a poluição. Mas não haverá custos para o contribuinte, pois este custo já está embutivo no IPVA. Haddad sabe que é possível gerir a cidade sem cobrança abusiva de impostos.

Ainda no programa de governo de Haddad, a questão do meio ambiente passa pela redefinição urbanística, por uma descompressão da cidade, que também chega às águas. Os rios paulistanos devem, de fato, integrar a nossa paisagem, voltar à vida, com significado ecológico, social e econômico. Parques e prédios vão chegar ao Tietê e a construção de “prédios verdes” receberá incentivo fiscal.


10. Polícia comunitária

Na gestão de Haddad, a Guarda Civil Metropolitana passará a atuar como polícia comunitária. Será criado o Programa Territorializado de Prevenção da Violência e da Criminalidade, nos moldes dos Territórios da Paz do Pronasci, do Ministério da Justiça. E, em parceria com o governo federal, a prefeitura poderá aumentar sua ação preventiva e implementar ações sociais capazes de afastar os jovens do crime e das drogas, como o programa "Crack, é possível vencer", do governo Dilma.

Haddad também vai melhorar a iluminação pública e aperfeiçoar o sistema de vigilância por câmeras. O vídeo monitoramento integrará a Guarda Metropolitana com a CET, o Samu, a Defesa Civil, a Polícia Militar e os bombeiros. As informações das câmeras de segurança serão compartilhadas pelos diversos serviços de proteção.

São Paulo ainda terá esporte 24 horas. Na periferia e no centro, quadras e parques serão equipados e iluminados para receber a juventude dia e noite, como acontece em outras cidades do mundo. Será criado também um Parque de Esportes Radicais na cidade. Mais esportes, cultura e lazer na cidade fazem os bairros mais seguros.


11. Controladoria Geral do Município

Com Haddad, a cidade ganhará uma Controladoria Geral do Município, para fiscalizar e prevenir a corrupção. Ela funcionará como a Controladoria Geral da União e vai coibir casos de conduta irregular de funcionários e órgãos da prefeitura. "O prefeito de São Paulo precisa contar com um controle interno. E o controlador terá status de secretário, para que consiga incidir nas demais secretarias, prevenindo o prefeito daquilo que pode acontecer", explica o candidato.


12. São Paulo sem Miséria

O programa São Paulo sem Miséria de Haddad vai integrar a cidade ao Sistema Único de Assistência Social (SUAS), a rede de proteção social organizada pelo governo federal que reúne um conjunto de programas para atenção aos mais pobres. Com isso, Haddad vai construir, no mínimo, 60 novos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e um Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREA) em cada subprefeitura.

Com Haddad na prefeitura, São Paulo será uma cidade que garante os direitos humanos de todos. Uma cidade que combate a violência contra as mulheres e as crianças, que respeita a diversidade, valoriza as diferenças e combate o racismo e todas as formas de discriminação.


13. O melhor ministro da educação

Fernando Haddad bateu todos os recordes de realizações quando foi ministro da Educação, da creche à universidade. Ele desenvolveu dezenas de programas novos, como o ProUni, que colocou 1 milhão de jovens pobres na universidade. Com Lula, Haddad criou 224 escolas técnicas e 618 polos da Universidade Aberta do Brasil. No Fies, beneficiou 530 mil estudantes. E levou a universidade federal para 126 municípios. O trabalho foi tanto que Lula e Haddad triplicaram o orçamento da educação do Brasil.

Com Dilma, a trajetória se repetiu: "Criamos o programa que dá bolsas no exterior a 100 mil brasileiros. Administrei um orçamento de R$ 80 bilhões, o dobro do de São Paulo, sem uma única denúncia", conta. Haddad também criou o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Tecnológico e Emprego (Pronatec), ampliando a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica.

Haddad também criou o sistema de ensino em tempo integral Mais Educação e o Caminho da Escola, que entregou milhares de ônibus, bicicletas e barcos novos para o transporte escolar. Ainda ampliou a Educação Inclusiva, fazendo com que mais crianças com deficiência estudem em salas de aula regulares. E implantou o Fundeb e o Proinfância, garantindo recursos para milhares de creches em todo o país.


Do Pense Novo

Nenhum comentário: