3 de ago de 2010

Governo paulista atrasa vale-coxinha dos professores

São Paulo atrasa vale-alimentação de professores da rede estadual

FÁBIO TAKAHASHI

PSDB pode mais, mas faz menos
Professores da rede estadual de São Paulo não recebem desde fevereiro o auxílio alimentação, utilizado para gastos em supermercados. Segundo o governo Goldman (PSDB), houve problema no sistema que fornece informações para o pagamento, que será solucionado nos próximos dias.

Os valores atrasados serão pagos, afirma a Secretaria de Gestão. A pasta não soube informar quantos dos cerca de 200 mil docentes estão sem receber o benefício.

A Apeoesp (sindicato dos professores) afirma que já recebeu dezenas de consultas de educadores, que reclamam da falta de pagamento ou de valores abaixo do correto. O benefício varia de acordo com a carga horária do professor. A quantia máxima é de R$ 80 mensais.

“Com o nosso salário, cada centavo faz falta. Estou pedindo dinheiro para o meu pai para comprar comida ou pedindo para comprar fiado no mercado”, diz um professor de português da região de Campinas (interior de São Paulo). O docente tem carga horária semanal de 30 horas e recebe R$ 1.500 de salário bruto. “Além de atrasar, o vale não é reajustado há dez anos”, completa o docente.

Do Esquerdopata

Um comentário:

Blogueiros disse...

Olá, companheiros.
Tudo bom?

Meu nome é Paulo Castro, sou jornalista, e estou trabalhando no comitê da nossa futura presidenta Dilma, para cuidar e auxiliar o relacionamento de vocês - blogueir@s - com a campanha. Enviei um e-mail - para o endereço que consta aqui no blog - vocês viram? Caso não tenham recebido, poderiam me enviar um (blogueiroscomdilma@gmail.com) para que possamos conversar?


Um abraço,
Paulo.