23 de abr de 2010

Carlos Lessa revela que FHC e Serra preparavam o BNDES para morrer

O Brasil escapou por pouco. O que seria do Brasil sem o BNDES em plena crise financeira mundial?

Carlos Lessa, ex-presidente do BNDES (2003), rememora à revista Terra Magazine que havia um processo de desmonte do BNDES nos anos 90.

FOI UMA HECATOMBE

“Meus dois antecessores no BNDES estavam preparando o banco para morrer. Queriam convertê-lo em banco de investimento, para depois dizerem: não precisamos de um banco de investimento. Expliquei tudo isso a Lula. Tanto que Lula me deu uma carta branca. Demiti todos os quadros, não sobrou um. Fiz logo uma hecatombe! Demiti cento e tantos. Aí a Miriam Leitão me atacou, não é?” – ironiza Lessa.

Na contracorrente de boa parte dos economistas, Lessa não considera “impossível” a privatização do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e do BNDES – “Eles fazem qualquer coisa”.

“No BNDES, sofri pressões intensas. A imprensa me demitiu 73 vezes. Claro, eu não gastava dinheiro com propaganda. Nunca achei necessário o BNDES fazer propaganda. (...)

Lessa reconhece, no entanto, que o primeiro governo de Lula modificou os planos privatistas no setor bancário. Naufragaram os propósitos do “Memorando de Política Econômica” de FHC.

É um testemunho de que “eles”, Serra, FHC, e o resto da quadrilha queriam vender o BNDES, o Banco do Brasil, a Petrobras e a CEF.

Não podemos deixar que “eles” voltem.

Sugiro o voto em Dilma.

Por Oldack Miranda - Bahia de Fato - 23.04.2010

Nenhum comentário: