9 de set de 2009

Prefeito Kassab, de São Paulo, gasta dinheiro com propaganda, deixa a cidade suja, agravando problemas de enchentes, ainda culpa a população

Por Nassif - 09.09.09 - Antecedentes da tragédia em SP.
As chuvas de ontem foram recordistas, segundo os jornais.

Mas vamos a alguns agravantes da tragédia ocorrida ontem, que comprometem a imagem do prefeito Gilberto Kassab.

Clique aqui para uma reportagem do SPTV sobre o acúmulo de lixo em São Paulo.

Clique aqui para as seguintes matérias sobre as enchentes de ontem em São Paulo:

1. Lixo acumulado no centro de São Paulo agravou os problemas com as enchentes.

2. A morte de sete pessoas, devido às chuvas e ao alagamento.

3. Volume recorde de chuvas.

4. Clique aqui para fotos do comentarista Aroldo Batista de cenas paulistanas durante a tempestade

E clique aqui para acessar um conjunto de reportagens que postei.

O dinheiro da Prefeitura é um. Cabe ao Prefeito definir prioridades. As matérias abaixo falam de três temas, entre tantos outros: gastos com precatórios alimentares (devidos ao cidadão comum), gastos com varrição (que afetam toda a cidade), gastos com publicidade e um pagamento à Eletropaulo, referente a uma dívida antiga. Analise como o prefeito Gilberto Kassab juntou as peças do seu quebra-cabeças orçamentário:

1. Em 06/10 2006 Kassab anula acordo feito pela gestão Martha com a Eletropaulo, visando pagar atrasados das gestões Maluf e Pitta. O pagamento deveria ser feito em 12 prestações mensais.

2. A Prefeitura deve R$ 4 bi em precatórios alimentares. Há casos de ações vencidas em 2001 que até hoje não foram pagas. O atraso médio é de 8 anos.

3. Quando José Serra assumiu, interrompeu o pagamento a 8 mil credores, que foram chamados para negociar descontos.

4. Em 13/08/2009, a Prefeitura anuncia cortes de 20% nas despesas com varrição, devido à queda da receita prevista para o ano.

5. Até aquela data, os gastos de publicidade havia sido de 138% a mais do que o previsto no orçamento do ano (o mesmo orçamento que foi reduzido em 20% nas despesas de carrição) e 98% a mais do que no ano anterior.

5. Em 10/08/2009, Kassab decide pagar a primeira parcela, de R$ 117 mi, do acordo fechado com a Eletropaulo.

Por Marcos Doniseti

Nassif, olha trecho interessante desta notícia do site do ‘Estadão’ sobre a enchentes em São Paulo ontem:

Notícia:

SP corta verba da varrição e Kassab culpa antecessores

Entre dez principais ações na área de prevenção às enchentes, o Executivo municipal não gastou neste ano nenhum centavo dos R$ 87.325 orçados para a conservação e manutenção de canais e galerias, por onde escoa a água.”

2 comentários:

RLocatelli Digital disse...

Acorda, povo paulista!

Guilherme Scalzilli disse...

Culpa da chuva

Custo a entender como o paulistano suporta diariamente esse indescritível colapso dos transportes urbanos e continua elegendo a mesma casta política para administrar o Estado. Ninguém jamais será responsabilizado pelo cenário apocalíptico das enchentes e dos congestionamentos monstruosos? O eleitor entregou-se a tamanha catatonia que simplesmente acredita na culpa do temporal, do feriado, do “grande fluxo de veículos”?
São décadas de continuidade administrativa ininterrupta, com uma fortuna já incalculável pretensamente gasta em investimentos, obras faraônicas e propaganda. A malha metroviária continua ridícula e os rios infectos, transbordando sob qualquer chuvisco passageiro (não, isso não acontece apenas com precipitações intensas). E o máximo que o cidadão consegue fazer é dar de ombros e concordar que vida nas cidades piorou muito nos últimos tempos...
Claro, essa passividade tem a colaboração militante da imprensa paulista. Um governo petista seria trucidado pelo espetáculo ignóbil destes dias chuvosos (e não mencionei segurança, educação, saúde). Mas, como a reeleição de Lula provou, a mídia não fabrica eleições sozinha. É impossível assistir ao martírio da população da capital sem constatar um sutil lampejo de merecimento.